quarta-feira, 7 de novembro de 2007

Equilíbrio


(Poppies of Toscano II Art Fronckowiak)
.
.
.
EQUILÍBRIO
(André L. Soares – 08.05.05 – V. Velha/ES)
.
Nem tudo é alegria, como nos contos de Lobato;
nem é só pessimismo, tal afirmara Nietzsche.
Nem tudo é igual, como sonhara Luther King;
nem é só diferença, quanto supusera Hitler.
Nem tudo é fartura, como na utopia de Morus;
nem é só carência, tal previa Malthus.
Nem tudo é libido, como na ciência de Freud;
nem é tão político, quanto queria Brecht.
Nem tudo é esperança, como na coluna Prestes;
nem é só autoritarismo, tal ordenara Vargas.
Nem tudo é união, como na imaginação de Lennon;
nem é tão solitário, quanto o via Jean-Paul Sartre.
Nem tudo é amor, como nos sermões de Cristo;
nem é só ódio, tal no fogo de Herodes.
Nem tudo é simplicidade, como a arte de Fellini;
nem é tão complexo, quanto explicara Einstein.
Nem tudo é perseverança, como o amor de Tereza;
nem é só vingança, tal bradara Khomeini.
Nem tudo é beleza, como nas telas de Van Gogh;
nem é tão banal, quanto dizia o velho Sade.
Nem tudo é glorioso, como a história de Pelé;
nem é só fé, tal filosofava Baha-ula.
Nem tudo é felicidade, como nos filmes da Disney;
nem é tão mau, quanto pensara Kierkegaard.
Nem tudo é pacifismo, como na ação de Gandhi;
nem é tão bélico, tal hoje aspira Bush.
Nem tudo é primavera, como previra Nostradamus;
nem é tão fácil, quanto ainda pensa Lula.

É que entre o preto e o branco
há milhões de furta tons e há ainda
outra imensidão de cores;
e entre o desprezo e a veneração
há mil formas de paixão
e muito mais formas de amores.
.
.
.

10 comentários:

  1. bom dia, andré
    virando freguesa de teu blog! rsrsrs
    quando puder venha até o meu, querido!a imagem é tua! lindo este poema, futuramente gostaria de publicá-lo também! um abraço

    fátima

    ResponderExcluir
  2. É... Nem tanto ao mar, nem tanto à Terra... O universo tende ao equilíbrio e o caminho do meio é o mais correto... Beijo, parabéns pela poesia.
    * Meu marido gostou da frase do Bush e eu também.

    ResponderExcluir
  3. E um lado sempre compensa o outro... a história, está longe do fim.

    ResponderExcluir
  4. mas acho que tudo é relativo como diria Einstein...

    e claro toda regra tem exceção, inclusive essa rsrs

    ResponderExcluir
  5. Oi, suas poesias são mtoO lindas!!
    Até linkei seu blog pra ficar mais fácil para apreciá-las!!

    ResponderExcluir
  6. Caramba!!! Cara, tu arrebenta nas poesias e as imagens que você coloca são fascinantes, muito bom!
    Valeu é isso. Como de costume geral vou pedir pra comentar no meu blog... aahuahua

    Fui.

    ResponderExcluir
  7. Opa...
    depois de um tempinho...olha eu aqui visitando teu blog...ou melhor teus blogs...

    esse é o segundo q passo x)

    estou adorando as suas poesias,parabéns!

    beijos!

    ResponderExcluir
  8. Belo Poema!
    Muito bom o seu blog
    Parabens
    Abraços
    Everaldo Ygor
    http://outrasandancas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Olá! Vi que visitou meu blog, obrigada, aceito a parceira sim!

    E parabéns pelos poemas, muito bem escritos, sua forma de colocar sentimentos e pensamentos nas palavras é muito intrigante, achei bem interessante esse poema, parabéns de novo!

    ResponderExcluir
  10. Oi, primeira vez que visito o seu blog, belos poemas encontrei por aqui, estarei sempre visitando agora, sobre o poema Equilíbrio, me fez lembrar de um texto pessoal que escrevi que diz que a vida vive em constante transformação, ninguém é só tristeza ou alegria, o ciclo se renoava para termos outras formas de viver.
    http://silenciosos-sentimentos.blogspot.com
    http://4creationdesign.blogspot.com

    ResponderExcluir