segunda-feira, 6 de abril de 2009

Canção do Outono Sombrio


(Foto: André L. Soares)
.
.
.
CANÇÃO DO OUTONO SOMBRIO
(André L. Soares)
.
Tenho pisado em folhas secas
que se amontoam aos pés das cercas,
depois esvoaçam pelo chão.
Acima, quase brilha um sol cinzento
simultaneamente ao vento,
que uiva a mais sombria das canções.
Vivo uma tristeza há mais de trezentos dias
sem ver flor ou ler poesia,
numa busca que parece ser em vão.
.
Nos meus olhos respinga a garoa fina
que se funde às minhas lágrimas...
(nem sei se sou eu quem chora ou se é o céu).
Escondido sob o espesso sobretudo
carrego o peso do mundo em minhas costas,
seguindo só com minhas botas e o destino infiel.
No meu caminho, a primavera não é óbvia,
sinto mais frio que num inverno em Varsóvia
(sonhos congelados na nevasca da ilusão).
.
Aspiro o pó branco que sobe pelas narinas
ou mergulho na bebida ofertada nos bares...
(falsas amigas que me empurram para a cova).
Não mais havendo lua-nova em minhas noites
semicerro as pálpebras e me acostumo ao breu;
afinal, o pior inimigo a enfrentar ainda sou eu.
.
Feito um corsário sem rumo,
minha alma de pássaro ganhou o azul,
migrou pro Sul,... foi embora no outono.
E se me mantenho em pé é por paixão:
tenho fé, que apesar de tanta derrota,
ao abrir alguma porta, ainda haverá verão.
.
.
.

.
Leia também:
Alma de Poesia /Gritos Verticais /Natureza Poética /O Poema de Cada Dia /Poética Herética /Raiz de Cem /Sons de Sonetos

16 comentários:

  1. André, achei lindo "Se me mantenho em pé é por paixão"... sabe, somente valores profundos nos fazem viver e sobreviver cada dia, seja na primavera ou no outono. E... as folhas avermelhadas... é meu sonho: estar num lugar e olhar o chão assim. Tudo maravilhoso. Beijos.

    ResponderExcluir
  2. André,
    Às vezes não me acho normal. tem gente que gosta de um ou duas estações, e as demais + ou -, ou menos... rs.
    Acho as quatro românticas, cada uma delas proporcionando um clima. O primeiro verso, com muitas folhas pelo chão, para mim é a alegria do outono. Gosto de varrer folhas e do cheiro da terra molhada.
    É tudo bom! O poema mui belo!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. André: Gostei muito da pintura e do poema: combinam ! O poema está muito emocionante, mas também muito triste...parece que foste embora, junto daquele pássaro azul e voltarás a ficar mais feliz, quando ele voltar. Faz-me lembrar a alma portuguesa, em que a saudade prenche os dias, misturada com tristeza e melancolia.
    Agora uma questão: o Outono aí é mesmo rigoroso?
    Um abraço, Susana

    ResponderExcluir
  4. Ah, adoro esse poema, André! Lembra como fiquei quando o li no Recanto? Pensei: meu Deus,... que estará acontecendo com meu querido poeta! Sou uma boba, né? Fiquei numa angústia.
    André, são poemas profundos e sensíveis como esse que explicam minha paixão por poesia.
    Se leio e sinto, tenho a certeza de estar diante de uma preciosidade. "Canção do Outono Sombrio" é uma jóia, meu querido!

    Beijussssssssssss de SOL! ;)

    ResponderExcluir
  5. “- nem sei se sou eu quem chora ou se é o céu - .”
    Perdida e recomposta em teus escritos...
    Pois minhas angústias do mesmo modo se [con] fudem com as dores do mundo!
    E não me vejo de forma isolada... Faço parte das folhas secas, do sol, do vento, flores, poesia, garoa, inverno, o verão e tudo que for cenário do meu pesar.
    Em fim... O MUNDO, e seu peso sobre nossas costas.
    Namastê!

    ResponderExcluir
  6. Olá,suas palavras são muitos significativas...

    Estou sendo seu seguidor...

    http://poetamarcosleite.blogspot.com

    Espero sua visita!

    ResponderExcluir
  7. Belíssima canção. Você está bem. Vou até arquivar. Mentalidade

    ResponderExcluir
  8. Olá parceiro, aceita nova parceria? Já add o teu link no meu novo blog http://baixarprogramasfree.blogspot.com Dá uma olhada. Um abraço.

    ResponderExcluir
  9. Caro escritor,

    tenho a honra de dizer que lancei o selo do "Psicopata Poético". O que isso quer dizer? Simples, quer dizer que você é especial para mim e é só passar no meu blog, copiar o selo e colocá-lo no seu blog. Com ele vai meu carinho, respeito, e toda admiração.

    Que este selo nos remeta sempre a nossa amizade, admiração, carinho e respeito conosco e com a arte. Que ele sempre lhe fale: "Ei, eu sou teu fã e tô aqui te corujando!"

    Grande abraço!

    Xandy Britto

    ResponderExcluir
  10. Ainda há verão mesmo quando os sonhos se esfriam e a alma fica arrefecida por não mais poder sentir a vida em seus poros.

    Beijos doces de seu sabor preferido com saudades no recheio.

    ResponderExcluir
  11. Andre,vc é muito foda...consegue colocdar 'as palavras exatamente como eu gostaria se tivesse esse dom.estou postando ás 4.20 da manhã...acho que vc nem vai ler...mas a solidão nos leva a essas atitudes ridículas...só estoou esperando amanhecer pra buscar "uma" companheira da minha solidão...Queria mesmo é que ela me levasse logo...o peso de viver já está muito grande pra minha fragilidade...tá muito dificil prosseguir,....

    ResponderExcluir
  12. Poeta,
    Estraordinário poema.
    abraços poéticos
    Selma

    ResponderExcluir
  13. olá adorei o blog parabens. galera gostaria de convidar vcs para visitar um site muito bacana tambem htts://www.cliquesexshop.com.br

    ResponderExcluir
  14. Essa parte se me mantenho em pé é por paixão...é demais...imagine quando essa paixão virar amor...rs

    ResponderExcluir
  15. que flor tan linda de verdad... muy bonita.

    ResponderExcluir