quinta-feira, 18 de junho de 2009

Blues 'Delirium'


(Foto: André L. Soares)
.
.
.
BLUES 'DELIRIUM'
(André L. Soares)
.
São tempos
de nenhum lirismo,
falsos amigos,...
palavras de aço.
.
Nas noites
em que a colcha
é o frio,
seu amante
é o delírio,...
filho do ácido.
.
O corpo
reclama outra dose
[sobejo da morte
no copo de whisky].
.
Só e sem forças,...
doente e triste,
ela cede a razão
ao pó
e aos frascos.
.
.
.

.
Leia também:
Alma de Poesia /Gritos Verticais /Natureza Poética /O Poema de Cada Dia /Poética Herética /Raiz de Cem /Sons de Sonetos

7 comentários:

  1. André, só ao ler o título, pensei: algo não terminará bem!
    Creio que em cada caracter já estava o poema. E quando disse "ácido" então consumou-se o fim.

    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Muito boa...você tem uma sensibilidade pra interagir as palavras de uma forma muito gentil e ao mesmo tempo voraz...

    ResponderExcluir
  3. olá gostaria de saber se vc não gostaria de fazer uma parceria com meu blog nome dele e tem de tudo para vc end e http://fatosetudo.blogspot.com/ vi seu blog e ele muito bom .
    aguardo resposta
    desde ja agradeço sua atenção

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Prazer Tanyle.

    Estava à esmo na internet e acabei 'esbarrando' no teu blog. Li alguns de teus trabalhos e poxa muy bons!
    O tratamento visual do teu blog também está impecável. Deveras apreciei. Parabéns viu?!

    [BeejO!]

    ResponderExcluir
  5. ...o peso da solidão...do abandono...o fim de conseguir sonhar...
    Delirius ce chumbo.

    ResponderExcluir
  6. Um blues só palavras. Maneiro.

    ResponderExcluir